Estudantes mortos em ataque a tiros em Goiânia serão enterrados neste sábado

Morte

Samanta do Carmo – Repórter do Radiojornalismo Edição: Luana Lourenço
Ataque a tiros deixou dois mortos e quatro feridos em escola em Goiânia
Ataque a tiros deixou dois mortos e quatro feridos em escola em GoiâniaEFE/Marcello Dantas/Cortesia Jornal O Popular/Direitos reservados
Os corpos dos dois adolescentes mortos no ataque a tiros no Colégio Goyazes, em Goiânia, serão enterrados na manhã de hoje (21) em cemitérios da cidade. Os corpos foram liberados pelo Instituto Médico Legal (IML) na noite de ontem (20) e estão sendo velados desde a madrugada.
Um dos sepultamentos ocorrerá às 10h no cemitério Parque Memorial, e o outro às 11, no Cemitério  Jardim das Palmeiras.
Os dois adolescentes foram mortos a tiros por um colega de classe que abriu fogo em sala de aula. Mais quatro adolescentes ficaram feridos e estão internados, um deles em estado gravíssimo. De acordo com as investigações, o adolescente autor do ataque, de 13 anos, agiu motivado por bullying e disse ter se inspirado nos casos de Columbine, nos Estados Unidos, e Realengo, no Rio de Janeiro, em que atiradores também abriram fogo dentro de escolas.
Na noite dessa sexta, pais de alunos, ex-alunos e vizinhos participaram de uma vigília em frente ao Colégio Goyazes, considerado tradicional na capital goiana e referência na capital.
Bom aluno e escola tradicional
A escola particular funciona há cerca de 25 anos no mesmo bairro, com turmas do maternal ao 9ª ano do ensino fundamental. De acordo com estudantes que estavam no local e não quiseram se identificar, vários dos alunos da turma vítima do ataque estão na escola desde a primeira infância.
Os dois filhos de Sandra Oliveira Santos foram alunos do colégio, um deles por dez anos. “Nós estamos dando força para a Tia Rose, para ela entender que estamos do lado dela”, disse a mãe dos ex-alunos. Tia Rose é o apelido da diretora do colégio.
Por conhecer os professores e a direção, Sandra acredita não ter havido negligência no caso de bullying relatado pelo adolescente. “A escola tem um sistema bem atualizado em pedagogia, os professores são preparados, a Tia Rose faz questão de trazer projetos inovadores, eu sou coparticipante desses projetos de educação, sei que não deixou de haver projeto de discussão de bullying”.
De acordo com o delegado do caso, Luiz Gonzaga, em conversas preliminares na tarde de sexta-feira, pais e professores relataram que o estudante autor dos disparos é bom aluno. “Conversei com o pai, com membros da escola, a coordenadora e professores, era um ótimo aluno, com ótimas notas, nada que denotasse uma prática de um crime tão grave”, afirmou. A relação com os pais, segundo o depoimento do estudante, também era boa.
“Este é um caso pontual, temos de entender como um caso pontual, o adolescente agiu com certeza em desequilíbrio emocional, talvez, como ele diz, inspirado em outras tragédias e, claro, segundo ele, motivado por um bullying de um colega específico. Ele resolveu matar esse colega”, relatou o delegado responsável por ouvir o adolescente, que foi atendido na presença de seu advogado. O pai dele também estava presente na oitiva e ambos confirmaram, sem detalhes, que o estudante já passou por tratamento psicológico.
O jovem também afirmou no depoimento que não procurou professores ou a coordenadora da escola para relatar a situação de bullying que sofria. Os professores confirmaram ao delegado que não receberam queixas deste tipo por parte do adolescente.
Todos os envolvidos devem ouvidos novamente pela polícia, inclusive o adolescente, que foi apreendido em flagrante delito, de acordo com o delegado do caso. O resultado da investigação será remetido para o Ministério Público.
– Assuntos: Ataque a tiros, adolescentes, Bullying, Goiânia, Colégio Goyases

Espanha justifica intervenção na Catalunha como defesa de “interesse geral”

Internacional

Da Agência EFE
A Espanha vai justificar a aplicação da Constituição para assumir o controle da Catalunha porque considera que as decisões do governo autônomo regional “atentam gravemente” contra o interesse geral do país. As informações são da Agência EFE.
A justificativa está em um texto que será discutido hoje (21) no Conselho de Ministros, que decidirá neste sábado se o governo central deve assumir as funções na Catalunha e restituir a ordem constitucional na região diante dos desafios independentistas.
O presidente do governo da Espanha, Mariano Rajoy, comanda reunião do Conselho de Ministros sobre a situação da Catalunha
O presidente do governo da Espanha, Mariano Rajoy, comanda reunião do Conselho de Ministros sobre a situação da CatalunhaReuters/Juan Carlos Hidalgo/Pool/Direitos Reservados 
O governo central decidiu aplicar o Artigo 155 da Constituição da Espanha depois de o presidente da Catalunha, Carles Puigdemont, ter alertado na última quinta-feira (19) que o parlamento regional poderia votar a independência se não houvesse diálogo entre as partes.
Esse artigo estabelece que, se uma autoridade autônoma não atende aos requerimentos para voltar à legalidade, o governo pode aprovar um decreto com medidas concretas para assumir as responsabilidades regionais. Esse decreto precisa ser aprovado por maioria absoluta no Senado do país para ser aplicado efetivamente.
A reunião do Conselho de Ministros, liderada pelo presidente do governo da Espanha, Mariano Rajoy, já está em andamento. O Senado deve votar o decreto no próximo dia 27 de outubro.
Entre os motivos para recorrer ao artigo, o governo da Espanha destaca o “incumprimento manifesto, contumaz e deliberado” das obrigações constitucionais das autoridades catalãs ao colocar em andamento um processo de separação.
“Os governantes catalães atuaram sem reconhecer a submissão à lei alguma e, com isso, invalidaram sua legitimidade como instituição de autogoverno”, defende o texto do Executivo espanhol.
A Espanha também afirma que as medidas que serão decididas hoje para intervir na Catalunha são de “garantia” e que terão como objetivo “assegurar direitos e não restringir liberdades”.
Os objetivos são restaurar a legalidade constitucional e do estatuto de autonomia da Catalunha, garantir a neutralidade institucional, manter o conforto social, o crescimento econômico e garantir direitos e liberdades de todos os catalães.
A justificativa diz que as autoridades catalãs deixaram de lado o interesse geral de parte dos moradores da região em favor do “ideário independentista de uma parte deles”.
Além disso, afirma que há um “absoluto desprezo” na Catalunha à separação entre os Poderes Executivo e Legislativo, já que eles têm atuado “como um só poder e como se tratassem de uma só vontade”.
O governo da Espanha também alega que a separação coloca em risco o progresso da sociedade do país como um todo, alertando que uma Catalunha independente estaria fora da União Europeia (UE) e sofreria um empobrecimento de até 30%, uma situação que o governo central deve evitar pelo interesse geral.
*É proibida a reprodução total ou parcial desse material. Direitos Reservados
– Assuntos: Catalunha, Espanha, independência

Tropicália 50 anos: A história do movimento que marcou a cultura nacional

Cultura

Ana Elisa Santana, Leandro Melito e Sueli de Freitas – Repórteres da Ag. Brasil Edição: Luana Lourenço
O movimento artístico que ficou conhecido como Tropicália completa 50 anos este mês. A apresentação das músicas Alegria, Alegria e Domingo no Parque, em 21 de outubro de 1967, durante a final do III Festival Record, marcaram o início de uma série de experimentações que levaram a uma nova forma de compreender a música brasileira. Essas inovações estéticas continuaram nos discos seguintes dos músicos Gilberto Gil e Caetano Veloso e na obra coletiva Tropicália ou Panis Et Circencis, o disco manifesto lançado no ano seguinte às apresentações no Festival da Record.
>>> Confira o especial da Agência Brasil – Tropicália, 50 anos: A história do movimento que marcou a cultura nacional
O clima tropicalista contagiou o Brasil e a efervescência se estendeu até dezembro de 1968, quando Caetano e Gil foram presos e, meses depois, obrigados a sair do país e irem para o exílio. A ditadura militar (1964-1985) acabava de iniciar sua fase mais dura, com Ato Institucional (AI) 5. A repressão não deixou passar o trabalho dos tropicalistas que, naquele momento, tinham sua máxima expressão em um programa semanal exibido na TV Tupi, emissora extinta no ano de 1980.
O pesquisador Frederico Coelho, professor da Pontifícia Universidade Católica do Rio (PUC-Rio) e especialista em Tropicália, relembra o que foi o movimento e a obra. Veja vídeo:

Tropicália, 50 anos
Assistir mais tardeCompartilhar
Reproduzir
Nova MPB
No momento em que a Tropicália surgiu, o cenário musical do país tinha como principais expressões as canções politizadas e de protesto dos artistas da chamada Música Popular Brasileira (MPB) e o pop da Jovem Guarda, liderada por Roberto Carlos e seu iê-iê-iê, que mimetizava Beatles e Rolling Stones. Era o auge da ditadura militar.

Tropicália, 50 anos
Assistir mais tardeCompartilhar
Reproduzir
A radicalização política no país também se expressava na música: de um lado os admiradores das canções de protesto, do outro, os fãs do iê-iê-iê. “Os tropicalistas buscavam justamente uma cena que fosse um pouco mais aberta, com menos preconceitos e mais liberdade de criação”, destacou em entrevista à Agência Brasil o escritor Carlos Calado, autor do livro Tropicália: história de uma revolução musical.
A Tropicália representou uma renovação no cenário musical do país ao investir em ritmos como o baião, bolero, marcha, música caipira, incluindo na mistura o pop e o rock. “A Tropicália era muito mais um ponto de vista crítico sobre a cena da música brasileira, sobre o repertório da música brasileira, do que propriamente uma maneira de se fazer música. Não existia uma forma tropicalista, na verdade os tropicalistas buscaram várias formas”, explica Calado.
Passados 50 anos do movimento, o autor considera que o disco Tropicália ou Panis et Circensis representa hoje seu principal legado por permanecer moderno e desafiador.“É um disco que não envelhece. Praticamente se tornou um clássico que você pode ouvir a qualquer momento e ainda se surpreender de alguma maneira”.
Para o poeta e compositor Salgado Maranhão, a Tropicália foi fruto de um momento do país e teve o papel de abrir caminhos e possibilidades no campo artístico. “A Tropicália nos deu uma modernidade e uma ousadia que não tínhamos”.
O também poeta e compositor Antônio Cícero destaca que o mais interessante no tropicalismo foi o fato de ser um movimento de vanguarda para a música popular. “Foi através da Tropicália que eu rompi com essa separação radical entre a cultura erudita e a cultura popular. Foi muito importante para o Brasil, representou a liberação de todas as possibilidades para a música brasileira”.
– Assuntos: Tropicália, 50 anos da tropicália, música, Gilberto Gil, Caetano Veloso

Papa pede clero unido no Brasil diante de “escandalosa corrupção”

Geral

Da Agência EFE
O papa Francisco defendeu hoje (21) a necessidade da união do clero no Brasil diante da “escandalosa corrupção” ocorrida no país. Francisco se reuniu neste sábado com a comunidade do Pontifício Colégio Pio Brasileiro de Roma. As informações são da Agência EFE.
“Neste momento difícil de sua história nacional, quando tantas pessoas parecem ter perdido a esperança em um futuro melhor pelos enormes problemas sociais e por uma escandalosa corrupção, o Brasil precisa que suas curas sejam sinais de esperança”, disse o papa.
Para Francisco, os brasileiros precisam ver um “clero unido, fraterno e solidário” diante da situação do país. “Os sacerdotes precisam enfrentar lado a lado os obstáculos, sem cair nas tentações do protagonismo ou de fazer carreira”, afirmou o pontífice.
“Tenho certeza de que o Brasil superará sua crise e confio que vocês atuarão nisso como protagonistas”, disse o pontífice aos estudantes e membros do Pontifício Colégio Pio Brasileiro, recebidos por ele por causa do 300º aniversário da descoberta da imagem de Nossa Senhora de Aparecida, padroeira do país.
*É proibida a reprodução total ou parcial desse material. Direitos Reservados
– Assuntos: papa Francisco, corrupção, clero

Emprego temporário de fim de ano é oportunidade de contrato definitivo

Geral

Ana Cristina Campos e Mariana Branco – Repórteres da Agência Brasil Edição: Lidia Neves
As vagas temporárias para o fim do ano, principalmente no comércio, podem representar para muitos uma possibilidade de contratação definitiva ou uma renda extra para os gastos de dezembro e janeiro.
Em Brasília, pesquisa da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Distrito Federal (Fecomércio-DF) indicou que 31,8% dos empresários farão contratações temporárias. As vagas criadas serão aproximadamente 3,9 mil até o Natal. No ano passado, 16,3% contrataram e 3,8 mil postos temporários foram abertos. O levantamento ouviu 425 lojistas de shopping e de rua, de 15 setores diferentes, entre 7 e 9 de agosto.
O presidente da entidade, Adelmir Santana, ressalta que a expectativa de contratações ainda está distante dos patamares verificados em anos pré-crise econômica. “Quando a economia estava bem, lá em 2014, esse número era de 7 mil a 9 mil pessoas. Ainda não está estabelecida a confiança plena. Mas já é um sinal de recuperação quando eles [lojistas] dizem que vão contratar pessoas”.
Segundo Santana, com a crise, os empresários também estão retardando as contratações. A ideia é, primeiro, ter certeza de que haverá alta no movimento. “No passado [as contratações] eram na segunda quinzena de agosto. Este ano, a perspectiva é só a partir da segunda quinzena de novembro”, explicou.
Vagas temporárias são vistas como oportunidade para quem quer uma renda extra ou um emprego definitivo (Arquivo/ABr)
Entre os segmentos pesquisados pela Fecomércio-DF, o de lojas de calçados e acessórios foi o que apresentou maior intenção de contratação temporária (36%), seguido por livraria e papelaria (20,3%); lojas de brinquedos (19%); floricultura e cestas (15,7%); chocolataria (15,5%); vestuário (11,2%); artigos para presente (11,1%); perfumaria e cosméticos (10,7%); eletroeletrônicos (8%) e relojoarias e joalherias (6,5%).
O empresário Júlio Cesar Alonso, que dirige 11 lojas de uma franquia de chocolatarias, informa que este ano contratará entre 30 e 35 pessoas para atuarem como temporários no seu negócio. Segundo ele, desde a Páscoa o setor vem registrando melhora no movimento.
“A gente vem recuperando faturamento e movimento. No shopping tem tido fluxo. As pessoas estão voltando a frequentar shoppings, a investir em lazer e a consumir supérfluos”, diagnosticou. Segundo ele, o processo de seleção de temporários começará na quinzena de outubro.
O lojista avisa que os temporários podem tornar-se efetivos caso mostrem bom desempenho.“Sempre vai ter a oportunidade de contratação, seja para substituir eventuais funcionários que não estão atendendo às necessidades ou mesmo com a criação de novas vagas”, diz.
O Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e a Câmara Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL) estimaram a abertura de 51 mil vagas extras no final deste ano a partir de pesquisa feita com 1.168 empresários dos setores de serviços e de comércio varejista, localizados nas capitais e interior do país.
Já a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) prevê que mais de 73 mil pessoas serão contratadas pelo comércio brasileiro para as festas de fim de ano, com alta de 10% em comparação com o mesmo período do ano passado, quando foram geradas 66,7 mil vagas temporárias de emprego.
Expectativas na crise do Rio de Janeiro
Moradora de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, a pedagoga da Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec) Patrícia Araújo Tavares, de 34 anos, está em busca de trabalho temporário para uma renda extra para os gastos do fim de ano. Assim como outros funcionários públicos estaduais com salários atrasados desde o ano passado e sem receber o décimo terceiro, ela está procurando alternativas para complementar a renda.
“Como o pagamento está irregular, estou procurando emprego em lojas de roupas, lanchonetes e pizzarias para trabalhar no fim de semana ou à noite, para reforçar a renda de final do ano. Vários colegas [da Faetec] estão vendendo doces, salgados, bolos”, conta.
O atraso no pagamento do funcionalismo fluminense aliado ao desemprego e ao crescimento da violência no estado são fatores apontados pelo presidente do Clube de Diretores Lojistas do Rio de Janeiro (CDL-Rio), Aldo Gonçalves, para a redução do número de vagas temporárias neste fim de ano.
Segundo estimativa do Centro de Estudos do CDL-Rio, o comércio lojista deve contratar 10 mil funcionários temporários para o período das festas de final de ano e para o verão, segundo a sondagem com 500 empresas dos setores de confecção e moda infantil, calçados, joias e bijuterias, óticas, eletroeletrônicos, papelarias, móveis e brinquedos.
As contratações previstas representam uma retração de 16% no número de empregados temporários admitidos no mesmo período do ano passado, que totalizou 12 mil. Para o presidente do CDL-Rio, o país ainda não saiu da crise econômica, apesar da tendência de melhora. “Além disso, o Rio de Janeiro está vivendo um momento muito ruim, com o crescimento da violência, com o desemprego e com o funcionalismo público estadual sem receber em dia”, disse.
Desempregado há três meses, o eletricista Luís Cláudio Alves da Cunha, de 45 anos, procurou um dos postos do Sistema Nacional de Emprego (Sine), no centro do Rio, no início de outubro, para recolocação profissional. Ele disse que, apesar de procurar uma vaga definitiva, vai aceitar contrato temporário na expectativa de ser efetivado.
Cunha acrescentou que também está buscando trabalho em outras áreas, como vendedor ou motorista. “Eu me sinto triste. A gente não espera [ser demitido]. Eu, pelo menos, fui indenizado”.
– Assuntos: contratações de fim de ano, emprego temporário, comércio

Nuzman deixa cadeia e passa a cumprir prisão domiciliar

Geral

Douglas Corrêa – Repórter da Agência Brasil Edição: Nádia Franco
Rio de Janeiro – A Polícia Federal prendeu o presidente do Comitê Olímpico Brasileiro, Carlos Arthur Nuzman, investigado por envolvimento em suposto esquema de compra de votos no Comitê Olímpico Internacional para
Nuzman cumpria prisão preventiva na Cadeia pública de BenficaTânia Rêgo/Agência Brasil
O presidente afastado do Comitê Olímpico do Brasil (COB) Carlos Arthur Nuzman deixou, na tarde desta sexta-feira (20), a Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, onde cumpria prisão preventiva decretada pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio.
Em nota, a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) informa que recebeu a documentação da Justiça referente ao habeas corpus concedido a Nuzman. A decisão judicial foi cumprida imediatamente, e o interno foi solto nesta tarde, diz o comunicado.
Ontem (19), em julgamento de um habeas corpus, a 6ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) colocou Nuzman em prisão domiciliar.
Nuzman vira réu
No mesmo dia em que recebeu habeas corpus do STJ determinando sua ida para o regime de prisão domiciliar, Nuzman virou réu com o ex-governador Sérgio Cabral. A decisão foi tomada nesta quinta-feira, pelo juiz Marcelo Bretas, em processo resultante da Operação Unfair Play, que investiga o pagamento de propina pelo direito do Brasil de sediar os Jogos Olímpicos de 2016.
Prisão
Carlos Arthur Nuzman e o diretor-geral do Comitê Organizador Rio 2016, Leonardo Gryner, foram presos, em casa, pela Polícia Federal, no dia 5 deste mês. Os dois são investigados por envolvimento em um suposto esquema de compra de votos no Comitê Olímpico Internacional (COI) para que o Rio de Janeiro fosse escolhido sede dos Jogos Olímpicos.
De acordo com o Ministério Público Federal, a prisão temporária de Nuzman e Gryner é importante para permitir que o patrimônio seja bloqueado e impedir que ambos continuem atuando, seja criminosamente, seja na interferência da produção probatória. Nuzman foi preso em casa, no Alto Leblon, zona sul do Rio.
– Assuntos: Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman, COB, STJ

Oi anuncia fechamento de 25 mil acordos com credores

Geral

Luciano Nascimento – Repórter da Agência Brasil Edição: Davi Oliveira
A Oi informou hoje (20) que fechou 25 mil acordos com credores. De acordo com a empresa, o valor dos acordos corresponde a mais de R$ 410 milhões. Ontem (19), a Oi encerrou o programa de negociação referente à recuperação judicial para credores com crédito de até R$ 50 mil. Segundo a operadora, 33 mil se cadastraram na plataforma eletrônica para receber o valor.
Dos cerca de 55 mil credores da Oi que fazem parte do plano de recuperação judicial da empresa, por volta de 53 mil tinham réditos de até R$ 50 mil para receber. Os pagamentos serão realizados em duas parcelas: a primeira correspondente a 90% do valor, acontece em até 10 dias úteis após a assinatura do termo de acordo.
Os 10% do crédito remanescente serão recebidos pelo credor em até 10 dias úteis após a homologação do Plano de Recuperação Judicial. Os valores serão recebidos por meio de depósito na conta bancária do credor.
A previsão é que o plano seja analisado na assembleia geral de credores, marcada para 23 de outubro. Mas a empresa ainda aguarda – para esta sexta-feira (20) – a decisão do juiz Fernando Viana, da 7ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro, sobre o adiamento da reunião para 27 de novembro.
“Alguns credores solicitaram o adiamento no sentido de poder evoluir na negociação. Quem vai determinar é somente o juiz. A empresa está completamente preparada”, disse o presidente da Oi, Marco Norci Schroeder, em encontro nesta sexta-feira com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e outros representantes de empresas do setor. 
Schroeder acrescentou que o pedido de adiamento foi feito por bancos e alguns bondholders (detentores de títulos) “importantes”. Para o presidente, o adiamento prejudica a empresa por impedir “virar a página” desse assunto. “A gente fez muita coisa nesse último ano, acelerou investimento, melhorou muito a questão de qualidade, reduziu quase 30% das reclamações com a Anatel [Agência Nacional de Telecomunicações]”, disse.
Ontem (19), a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) informou que vai se reunir na segunda-feira (23) para deliberar a respeito dos termos de Ajustamento de Conduta (TACs). Em processo de recuperação judicial, a tele acumula dívidas de R$ 64 bilhões em bônus, dívidas bancárias e responsabilidades operacionais. A reunião extraordinária será fechada, com caráter sigiloso.
Uma eventual renegociação dos termos firmados nos TACs com a Anatel poderia abrir caminho para a aprovação do plano de recuperação judicial. Na próxima segunda, a agência vai analisar processos referentes ao montante de R$ 4,8 bilhões. O valor é maior do que o do primeiro TAC da empresa, de R$ 1,2 bilhão, cuja tramitação foi suspensa pelo Tribunal de Contas da União (TCU), justamente pelo fato de Oi estar em recuperação judicial.
– Assuntos: Oi, recuperação judicial, negociação com credores, Anatel

Adolescente que atirou em colegas disse que se inspirou em Columbine e Realengo

Geral

Samanta do Carmo – Repórter do Radiojornalismo Edição: Davi Oliveira
Um estudante fez disparos de arma de fogo contra colegas no Colégio Goyases, em Goiânia. Duas pessoas morreram e quatro ficaram feridas (EFE/Marcello Dantas/Cortesia Jornal O Popular/Direitos reservados)
Um estudante fez disparos de arma de fogo contra colegas no Colégio Goyases, em GoiâniaEFE/Marcello Dantas/Cortesia Jornal O Popular/Direitos reservados
Em entrevista coletiva à imprensa na tarde desta sexta-feira (20), o delegado Luís Gonzaga, da Delegacia de Polícia de Apuração de Atos Infracionais da Polícia Civil de Goiás, confirmou que um adolescente de 14 anos foi o autor do ataque com arma de fogo ocorrido no fim da manhã de hoje, no Colégio Goyases, localizado no bairro Conjunto Riviera, em Goiânia. Dois estudantes da mesma turma do autor do ataque morreram no local, e quatro ficaram feridos.
O estudante já foi ouvido pela polícia. Segundo o delegado, ele afirmou que foi motivado por bullying e disse que se inspirou nos casos da escola de Columbine (ocorrido em 1999, nos Estados Unidos), e de Realengo (em 2011, no Rio de Janeiro). No depoimento, o estudante narrou que tinha intenção de matar apenas o colega autor do bullying contra ele, mas no momento do ataque, sentiu vontade de fazer mais vítimas.
Os nomes dos jovens envolvidos não foram divulgados para que as famílias sejam preservadas. A arma usada no ataque foi uma pistola que pertencia à mãe do adolescente, que é policial militar. Ele disse que achou a pistola escondida em um móvel da casa. Nem a mãe nem o pai, que também é policial militar, ensinaram o adolescente a atirar.
Ao retirar a arma da mochila para começar o ataque, ele chegou a efetuar um disparo acidental, mas não se feriu. O adolescente foi apreendido em flagrante delito.
Situação das vítimas
De acordo com o diretor técnico do Hospital de Urgências de Goiânia, Ricardo Furtado Mendonça, uma menina de 13 anos está em estado grave na UTI do hospital. Ela foi atingida na mão, pescoço e no tórax. A menina passou por procedimento cirúrgico para drenagem de tórax.
A segunda vítima, também uma adolescente de 13 anos, está consciente e respirando sem aparelhos. Ela teve um pulmão perfurando e passou por cirurgia. A terceira vítima é um menino de 13 anos que está consciente, estável e continua em avaliação. A quarta vítima está no Hospital Acidentados e não teve o boletim médico divulgado.
A Polícia Civil continua com a investigação e deve ouvir os professores e coordenadores da escola.
– Assuntos: tragédia em Goiânia, mortes em escolas, Columbine, realengo, Colégio Goyases

Chuva de meteoros poderá ser vista a olho nu neste fim de semana

Geral

Da Agência Brasil Edição: Luana Lourenço
Uma chuva de meteoros Orionídeos poderá ser vista a olho nu neste fim de semana, a partir de hoje (20) e com pico na madrugada de domingo (22). De acordo com a Agência Espacial Norte-Americana (Nasa), os Orionídeos são formados por poeira e gelo que o cometa Halley deixa para trás em sua órbita.
No Brasil, o fenômeno poderá ser visto em todo o país. Durante o pico da chuva, poderão ser vistos entre 20 e 25 meteoros por hora. A recomendação é que a observação seja feita em locais com pouca luz artificial, como áreas rurais e isoladas.
– Assuntos: meteoros, chuva de meteoros, Nasa

Tite convoca 25 jogadores para amistosos da seleção em novembro

Esportes

Jorge Wamburg – Repórter da Rádio Nacional Edição: Luana Lourenço
O técnico Tite convocou hoje (20) 25 jogadores para dois amistosos da seleção brasileira em novembro. No dia 10, o Brasil enfrenta o Japão, em Lille, na França; e no dia 14, a partida será contra a Inglaterra, em Londres.
A lista tem apenas três jogadores que atuam no Brasil: o goleiro Cássio (Corinthians), o meia Diego (Flamengo) e o atacante Diego Souza (Sport).
As novidades em relação à última convocação são Diego Souza, Douglas Costa (Juventus/Itália), Taison (Shaktar Donetsk/Rússia) e Giuliano (Fenerbache/Turquia). O meia Diego fez parte da última lista, mas foi cortado porque sofreu uma contusão.
Os dois amistosos de novembro serão os últimos jogos da seleção em 2017, depois da classificação para as eliminatórias da Copa do Mundo da Rússia, em que terminou em 1º lugar na disputa sul-americana à frente de Uruguai, Colômbia e Argentina.
A seleção se apresentará no dia 6 de novembro e treinará em Paris durante três dias, no estádio do PSG, time de Neymar, o Parque dos Príncipes. Em Londres, o treinamento será no estádio do Fulham, e o jogo no estádio nacional de Wembley. Antes da Copa do Mundo, a seleção brasileira ainda fará dois amistosos no exterior em março de 2018, contra a Alemanha e a Rússia.
Veja a lista de convocados por Tite:
Goleiros: Alisson (Roma), Cássio (Corinthians) e Emerson (Manchester City)
Laterais: Daniel Alves (Paris Saint Germain), Danilo (Manchester City), Marcelo (Real Madri) e Alex Sandro (Juventus)
Zagueiros: Thiago Silva (Paris Saint Germain), Miranda (Internazionale), Jemerson (Mônaco), Marquinhos (Paris Saint Germain)
Meio-campo: Diego (Flamengo, Paulinho (Barcelona), Phillipe Coutinho (Liverpool), Casemiro (Real Madri), William (Chelsea), renato Augusto (Beijing Guoan), Giuliano (Fenerbache) e Fernandinho (Manchester City)
Atacantes: Neymar (paris Saint Germain), Taison (Shaktar Donetsk), Gabriel Jesus (Manchester City), Roberto Firmino (Liverpool), Douglas Costa (Juventus) e Diego Souza (Sport)
– Assuntos: futebol, seleção brasileira, amistosos, Copa do Mundo

Prefeitura de São Paulo deve incorporar farinata na merenda escolar

SP

Flávia Albuquerque – Repórter da Agência Brasil Edição: Nádia Franco
São Paulo – O prefeito João Dória fala à imprensa sobre o repasse de verba do governo federal para atender usuários de droga na Cracolândia (Rovena Rosa/Agência Brasil)
O  prefeito  João  Doria    Arquivo/Agência  Brasil
O prefeito de São Paulo, João Doria, confirmou hoje (18) que pretende incorporar a farinata na merenda escolar dos alunos da rede municipal. A farinata é uma farinha obtida a partir de alimentos que estejam próximos da data de vencimento e que serão descartados. O produto foi elaborado pela organização sem fins lucrativos Sinergia.

Na semana passada, Doria anunciou que usaria o produto no Programa Alimento para Todos, que prevê a distribuição do composto para a população carente da cidade. O uso da farinata gerou polêmica apôs o prefeito mostrar um biscoito em forma de bolinhas que foi chamado de ração nas redes sociais.
“Na prefeitura de São Paulo, a Secretaria de Educação já foi autorizada a utilizar o alimento solidário de forma complementar na merenda escolar, com todas as suas características de proteínas, vitaminas, sais minerais, para a complementação dessa merenda já com início em outubro”, disse Doria.
Entretanto, o prefeito não soube informar quais serão os compostos introduzidos na merenda.

Segundo Doria, apesar de ter promulgado a Lei 01-00550/2016, que institui e estabelece diretrizes para a Política Municipal de Erradicação da Fome e Promoção da Função Social dos Alimentos, a administração nunca disse que já estava pronta para implantar o projeto. “Eu disse que, a partir daquele momento, podíamos iniciar o processo de incorporação da farinata e sua distribuição”.
De acordo com a secretaria municipal de Direitos Humanos, Eloisa Arruda, ainda serão realizados estudos para conhecer as carências nutricionais da população da cidade de São Paulo. “Ainda não está definido o que vai chegar às escolas em outubro, mas estamos em contato com o secretário da Educação para que ele nos apresente qual é o cardápio destas creches. e a introdução pode ser feita paulatinamente”. O estudo deve ser feito pelo Observatório de Políticas para o Desenvolvimento Social, da Secretaria de Desenvolvimento Social.
Eloisa enfatizou que o alimento in natura continuará sendo fornecido e seu uso, incentivado, mas que serão analisadas as necessidades alimentares nas regiões da cidade para que o alimento solidário seja incorporado. “Não vamos substituir alimentos in natura. Temos regiões em São Paulo que são chamadas de desertos alimentares, nas quais o alimento in natura não chega pela dificuldade logística. O que queremos é alimentos de boa qualidade dos supermercados fora da conformidade que cheguem a esses desertos alimentares. é um projeto amplo que está apenas começando”. 
A fundadora da Sinergia, Rosana Perrotti, explicou que farinata é um composto feito com alimentos bons, e que são empregadas diversas técnicas para permitir o reaproveitamento. “Testamos todas as técnicas que chegaram a nós e conectamos todas elas de forma que qualquer alimento que entra, sai o mesmo, mas em formato de pó ou granulado”.
Segundo Rosana, a única diferença entre tal alimento e o produzido pela indústria é que a farinata é patenteada exclusivamente para os programas de combate à fome. “Esta é uma inovação que esperamos que inspire o Brasil e o mundo. Só vamos conseguir produzir para essa finalidade por meio de políticas públicas”.
Rosana não soube explicar quem produzirá o composto e como será a distribuição. Ela ressaltou que pelo menos 1,3 bilhão de toneladas são desperdiçadas no mundo e há 1 bilhão de pessoas sem alimento. O custo para descarte do que é desperdiçado chega a US$ 750 bilhões.
“Cada supermercado sabe seu custo. Nós vamos reduzir os custos deles ao operacionalizar a farinha. Esse custo será menor do que o do processo de descarte. A prefeitura não vai colocar nenhum recurso. O que vai fazer é reduzir seus custos, inclusive na área de saúde e educação, porque, se elevamos o nível da nutrição, vamos ter melhor resultado educacional e de saúde. Cada empresa que entra na parceria pode ajudar nesse beneficiamento”, acrescentou.
Arcebispo apoia

O arcebispo metropolitano de São Paulo, cardeal dom Odilo Scherer, defendeu o uso da farinata em virtude do grande número de pessoas que passam fome na cidade de São Paulo. De acordo com o cardeal, três questões que interessam à igreja serão sanadas com a distribuição da farinata: o escândalo da fome, o desperdício de alimentos, o ônus ambiental causado por esse desperdício.
“A possibilidade de fazer algo para que isso não aconteça [a existência de pessoas com fome] nos levou a apoiar a iniciativa que pretende levar alimento de forma segura e gratuita para quem não tem. O projeto de lei que foi elaborado para permitir a distribuição da farinata foi feito há quatro anos. O assunto foi introduzido no Congresso Nacional, já tramitou na Câmara dos Deputados e está no Senado Federal. Com essa farinha se fazem muitas coisas, não é alimento granulado como se tem dito”, afirmou dom Odilo.
– Assuntos: São Paulo, farinata, merenda escolar, João Doria, Dom Odilo Scherer

Cade reprova compra da Mataboi pela JBJ

Economia

Mariana Tokarnia – Repórter da Agência Brasil Edição: Luana Lourenço
O Tribunal do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) reprovou, por unanimidade, a compra da Mataboi pela JBJ Agropecuária. Entre os argumentos para vetar a operação, está a concentração de mercado já que a JBJ pertence ao empresário José Batista Júnior, irmão de Joesley e Wesley Batista, controladores da JBS, empresa líder no mercado nacional de abate e comercialização in natura. A Mataboi e a JBJ terão 30 dias para desfazer a operação a partir da publicação da decisão.
Segundo o Cade, embora não haja relação societária entre a JBS e a JBJ, o parentesco e as ações dos controladores das duas empresas, como a indicação recente de José Batista Júnior para assumir a presidência da JBS na ausência dos atuais controladores, evidenciam uma potencial atuação coordenada entre as empresas após a conclusão da operação.
Concentração de mercado
A JBJ atua basicamente na criação de gado para abate e no mercado de carne bovina in natura no varejo em Goiânia. Já a Mataboi opera no mercado de abate de gado e de comercialização de carne bovina in natura e subprodutos do abate.
De acordo com o Cade, além da possibilidade de concentração horizontal, se considerada a participação da JBS, a operação implica na integração vertical nos seguintes mercados: de criação de gado, no qual a JBJ Agro atua; no de abate de bovinos, que compreende atividade desenvolvida pela Mataboi em Goiás, Minas Gerais e Mato Grosso; no de comercialização de carne bovina in natura desossada para o atacado, no qual a Mataboi atua; e no de comercialização de carne in natura no varejo em Goiânia, Goiás, onde o Grupo JBJ atua.
Análises feitas pela Superintendência e pelo Departamento de Estudos Econômicos do Cade também consideraram que, no caso de coordenação com a JBS, a operação em questão representaria mais um movimento de concentração da empresa, o que já havia sido alvo de preocupação e alerta do Cade em análises passadas de atos de concentração envolvendo a JBS. O órgão, inclusive, proibiu novas aquisições da empresa em certas localidades onde o nível de concentração já é elevado.
Ações passadas
A aquisição da Mataboi pela JBJ Agro foi realizada por meio de Contrato de Compra e Venda de Participação Societária, firmado em 22 de dezembro de 2014, mas só foi notificada ao Cade em 12 de novembro de 2016.
Por causa da consumação da operação antes de notificar o Cade, o Tribunal do conselho já havia aplicado multa no valor de R$ 664 mil às partes envolvidas na operação, no ano passado.
Além disso, o Cade havia homologado acordo com a empresa impedindo que os acionistas da JBJ Agro, principalmente José Batista Júnior, exercessem qualquer cargo junto à concorrente JBS, ou obtivessem e/ou fornecessem informações concorrencialmente sensíveis a uma ou a outra, até o julgamento do caso.
Por meio de sua assessoria de imprensa, a Mataboi informou que irá recorrer da decisão e está estudando medidas administrativas e judiciais para pedir a revisão da sentença do Cade.
“A empresa reitera a convicção na lisura de suas atividades e entende que medidas de governança já adotadas ao longo do processo são suficientes para assegurar o desenvolvimento sustentável do setor sem impactar na sua operação, que garante mais de 2 mil empregos, é a base da economia nas regiões onde atua e representa cerca de 7% das exportações de carne bovina do Brasil”.
– Assuntos: Cade, concorrência, Mataboi, JBJ, concentração de mercado

Projeto que regulamenta Uber poderá ter urgência votada na próxima terça-feira

Geral

Paulo Victor Chagas – Repórter da Agência Brasil Edição: Juliana Andrade
O presidente do Senado, Eunício Oliveira, fechou um acordo com os senadores para não colocar em votação hoje (18) o requerimento para apreciar em caráter de urgência o projeto de lei que regulamenta o transporte de passageiros por aplicativos. De autoria da Câmara dos Deputados, a proposta é alvo de polêmicas e divide as empresas que oferecem o serviço, como a Uber, e os taxistas.
A intenção de Oliveira é oferecer mais tempo para que o projeto seja discutido e que haja uma tentativa de consenso para sua votação na Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT) do Senado, onde a matéria tramita. Segundo o presidente da Casa, “não havendo entendimento nem quórum para deliberação da matéria” na comissão da próxima terça-feira (24), o pedido de urgência será colocado em votação no plenário.
Caso o requerimento não seja aprovado, o projeto ainda precisará passar por mais quatro comissões: de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), de Assuntos Econômicos (CAE), de Assuntos Sociais (CAS) e de Serviços de Infraestrutura (CI).
No fim de setembro, o relator do projeto na CCT, senador Pedro Chaves (PSC-MS), apresentou substitutivo à proposta com mudanças que, segundo ele, retiram os principais entraves burocráticos para o funcionamento do Uber. Ele também defendeu o fim da urgência para uma maior discussão e amadurecimento da matéria.
– Assuntos: Uber, Senado, requerimento de urgência

Vacinação de adultos e idosos é insatisfatória, diz entidade de imunização

Saúde

Elaine Patricia Cruz – Repórter da Agência Brasil Edição: Denise Griesinger
Brasília – O Ministério da Saúde promove o Dia D de Vacinação contra a gripe em postos de todo o país (Marcello Casal Jr/Agência Brasil)
Brasília – Para a Sociedade Brasileira de Imunizações, muitas doenças fatais para idosos poderiam ser evitadas se idosos e adultos se vacinassem conforme o calendárioMarcello Casal Jr/Agência Brasil
Para a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), a vacinação de adultos e idosos ainda é insatisfatória no Brasil. Por causa disso, diz a entidade, muitas doenças que estavam eliminadas do país, como o sarampo, a rubéola e a poliomielite, acabam retornando e trazendo preocupações.
“Além da vacinação permitir a proteção do indivíduo, ela ainda evita uma situação como a que a gente viveu no Ceará: a gente estava para eliminar o sarampo e vimos o sarampo voltar porque quem começou o surto, que conseguimos depois reverter com a vacina, foram os adultos não vacinados. E quem adoeceu em nosso país de febre amarela? O adulto que não estava vacinado e, principalmente, o homem. Se é difícil vacinar o adulto, o adulto homem é ainda mais difícil”, disse Isabella Ballalai, presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), em entrevista à Agência Brasil durante o III Fórum de Especialistas em Vacinação do Adulto e do Idoso, realizado hoje (18), em São Paulo.
Segundo Isabella, muitas doenças fatais para idosos poderiam ser evitadas. “Adulto morre muito de doença que pode ser evitada com vacina – como a pneumonia, que é uma das principais causas de óbito de idosos; e a hepatite B, que é uma doença sexualmente transmissível e o maior de 60 anos está bombando de doenças sexualmente transmissíveis”, disse.
Na avaliação da presidente da entidade, a vacinação de adultos e de idosos no país é “tão baixa” que os números nem são conhecidos. “Enquanto temos um controle bem importante da vacinação dos menores de um ano no Brasil, a gente não sabe – fora as campanhas de gripe e de gestantes contra a coqueluche –  qual a cobertura do brasileiro. Estamos muito longe do que precisamos”.
Já a coordenadora do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde, Carla Domingues, lembra que a vacinação de adolescentes, adultos e idosos ainda é recente no país e por esse motivo, os números ainda são baixos: “A vacinação do adolescente, do idoso e do adulto é muito recente. A do adolescente começamos agora, em 2014. Então, se olharmos o número seco [de pessoas dessas faixas etárias que são vacinadas], ele é baixo. Mas temos que pensar que estamos começando agora. Então temos um longo caminho pela frente”.
Carla também alertou para os riscos da baixa imunização dessa faixa etária no país. “O sarampo foi eliminado agora, em 2016, graças a essa vacinação de longa data em crianças e em adultos. No entanto, o sarampo ainda é endêmico em muitos países da Europa e da Ásia. Então, se hoje você for visitar a Itália, está tendo um surto de sarampo lá e, com esse fluxo de pessoas, seja pelo turismo seja pelo comércio, pode reintroduzir essa doença [no Brasil] se nós pararmos de vacinar”.
Entre as doenças que trazem mais preocupação pela falta de vacinação entre as pessoas dessas faixas etárias estão a rubéola, o sarampo, a pneumonia e o HPV. “Precisamos ter a população vacinada para que possamos eliminar e manter controlada muitas doenças”, disse Carla.
Para a representante da Sociedade Brasileira de Imunização, essa baixa vacinação de adultos e de idosos decorre principalmente da falta de informação. Isabella conta que muitos adultos acham que, se tomaram vacinas quando crianças, não precisam mais ser vacinados: “A maioria das vacinas que hoje a gente tem, que a criança toma hoje, nós adultos não tomamos. ‘Eu tomei todas as vacinas, minha mãe sempre me levou ao posto’ [dizem os adultos]. Mas ele tomou três ou quatro vacinas. Hoje são 15. Além disso, tem vacina que não protege para a vida toda. Então é preciso tomar reforços. E tem vacinas que são feitas para o adulto, para doença como herpes-zóster [erupções na pele causada pela reativação do vírus da catapora]”.
Rede pública
Para Isabella, além da falta de algumas vacinas na rede pública, o problema maior é que os adultos e idosos não procuram os postos de saúde. “Tão importante quanto conseguir incluir uma vacina [no calendário de vacinação] é conseguir que essas pessoas procurem a vacinação porque senão podemos ter o que está acontecendo com os adolescentes: a faixa etária do [público alvo] HPV está sendo estendida temporariamente porque a vacina vai vencer e a gente não teve adesão. Vacina na geladeira, sem a pessoa ir lá tomar a vacina, é dinheiro no lixo”, ressaltou.
A coordenadora do Programa Nacional de Imunizações nega que as vacinas estejam indisponíveis na rede pública. “Todas as vacinas que estão disponíveis no calendário do Programa Nacional de Imunizações estão disponíveis nas 37 mil salas de vacinação do nosso país e do SUS [Sistema Único de Saúde]”.
Segundo Carla, o adulto ou idoso que deseja atualizar sua caderneta de vacinação, precisa apenas procurar um posto de saúde. “Toda vez em que o adulto for se dirigir a um posto de saúde ou a um médico, deve levar a caderneta de vacinação porque o médico poderá avaliar se há alguma vacina incompleta ou se não tomou alguma dose e vai poder atualizar essa caderneta de vacinação”, disse.
“É importante que a população tenha conhecimento de que vacina hoje não é só uma ação infantil, mas em qualquer fase da sua vida você tem pelo menos uma vacina que diz respeito à sua idade”, alertou Carla.
Segundo Isabella, a Sociedade Brasileira de Imunização pretende criar um grupo para discutir como incentivar a vacinação de adultos e de idosos. Uma ideia, segundo ela, é buscar apoio de empresas para que, assim como ocorre com as crianças nas escolas, os adultos sejam vacinados ou orientados sobre a vacinação em seus locais de trabalho.
“Hoje é um começo. Vai sair um documento de tudo o que a gente discutiu aqui hoje e aí a SBIM vai convocar as sociedades médicas de especialidade, a enfermagem e representantes dessas sociedades para formar grupos que vão se encontrar periodicamente em busca de tarefas como a melhoria do ensino médico e de enfermagem em relação à vacinação e como melhorar o acesso”, disse.
– Assuntos: Fórum de Especialistas em Vacinação do Adulto e do Idoso, Sociedade Brasileira de Imunização, Programa Nacional de Imunização

Corpo encontrado na Argentina paralisa eleições enquanto país aguarda necrópsia

Internacional

Monica Yanakiew – Correspondente da Agência Brasil Edição: Davi Oliveira
O corpo de um homem, resgatado em um rio da Patagônia, interrompeu a campanha politica na Argentina, faltando quatro dias para as eleições legislativas de domingo (22). Os candidatos, tanto do governo, quanto da oposição, suspenderam os últimos atos, previstos para quinta-feira (19), à espera da necrópsia que vai determinar se o morto é Santiago Maldonado – um artesão de 28 anos. Ele foi visto pela última vez há 79 dias, num protesto dos índios mapuches no sul do país, que foi reprimido pela gendarmeria (a polícia militar argentina).
“O caso Maldonado tem uma forte conotação politica, porque ele desapareceu há quase três meses,  num episódio envolvendo as forças de segurança”, explicou à Agência Brasil o analista politico Roberto Bacman. “Ele é um desaparecido da democracia, num país que ainda não curou as feridas do regime militar”.
Na Argentina, os organismos de direitos humanos até hoje exigem a “devolução com vida dos 30 mil desaparecidos” da ditadura (1976-1983). Muitos deles foram levados a centros clandestinos de tortura e depois jogados de aviões no Rio da Prata, ou enterrados em fossas comuns – sem deixar rastro. O “desaparecimento forçado” passou a ser um crime que não prescreve e cujos responsáveis estão sendo julgados e punidos até hoje, mais de 30 anos após o retorno da democracia.
Santiago Maldonado sumiu no dia 1º de agosto, na província de Chubut, no sul da Argentina, a 80 quilômetros da estação de esqui de Bariloche. Ele participava de um protesto de ativistas indígenas, reclamando terras ancestrais, perto da fronteira com o Chile, adquiridas pela empresa Benetton nos anos 1990. Os manifestantes estavam bloqueando uma estrada e as forças de seguranças foram chamadas para retirá-los e liberar o trânsito. Segundo testemunhas, Maldonado foi visto pela última vez sendo arrastado pelos gendarmes.
Desde então, a família do jovem, movimentos sociais de esquerda e organizações de defesa dos direitos humanos têm feito campanha – nas ruas e nas redes sociais – por Santiago Maldonado. O rosto do jovem, de cabelos longos e barba, está em cartazes espalhados pelo centro de Buenos Aires e em uma página de Facebook, pedindo a “aparição com vida de Santiago Maldonado”.
O caso ganhou relevância nacional e internacional, virando tema da campanha eleitoral em curso, que vai renovar metade da Câmara dos Deputados e um terço do Senado. A eleição é considerada um termômetro para medir o nível de satisfação dos argentinos com a primeira metade de governo do presidente Mauricio Macri. E, também, saber se ele terá suficiente apoio para concluir bem os últimos dois anos de mandato e se candidatar à reeleição.
“Até agora, as pesquisas de opinião indicam que o governo fará uma boa eleição. Tem a seu favor sinais de reativação econômica, após três anos de recessão, e os escândalos de corrupção envolvendo a ex-presidente Cristina Kirchner, que foi indiciada pela Justiça”, disse Bacman. Mas, segundo ele, “o aparecimento de um corpo, que pode ser de Maldonado, sacudiu o cenário politico”.
Candidata opositora ao Senado, Cristina Kirchner participou de uma missa em homenagem a Santiago Maldonado, somando-se às críticas da família sobre a falta de avanços na busca do jovem desaparecido. Na campanha, seus aliados acusaram o governo de proteger as forças de segurança, sem investigar a atuação dos policiais na repressão do protesto indígena.
O governo nega as acusações e diz que fez tudo a seu alcance. A ministra de Segurança, Patricia Bullrich, disse que não iria acusar os policiais por um crime que nem sequer foi provado na Justiça, “por causa da pressão midiática”. Segundo os aliados de Macri, Cristina Kirchner está usando o caso para distrair a atenção dos eleitores dos escândalos de corrupção ocorridos durante seu governo (2007-2015).
Essa semana, o governo ordenou mais uma busca no Rio Chubut, com a ajuda de mergulhadores e cães, próximo do lugar onde Santiago Maldonado desapareceu. Dessa vez encontraram o corpo de um homem, vestido, boiando. No bolso, ele carregava a carteira de identidade do artesão.
O irmão, Sergio Maldonado, e a cunhada, Andrea Antico, viajaram para acompanhar a operação. “Não confiamos em ninguém, porque desde o primeiro momento nos atacaram. Foi duríssimo”, disse Andrea, na quarta-feira (18). A família pediu aos políticos e à imprensa que evitassem especular até a realização de uma necrópsia e de um teste de DNA, para identificar o corpo.
Mas, a quatro dias das eleições legislativas, o noticiário foi dominado por especulações e teorias conspiratórias – inclusive a de que o corpo havia sido “plantado” para encerrar as investigações.
– Assuntos: Buenos Aires, Eleições argentinas, ativista desaparecido, corpo encontrado, autopsia

Corinthians empata com o Grêmio e mantém liderança de nove pontos na série A

Esportes

Jorge Wamburg – Repórter da Rádio Nacional Edição: Davi Oliveira
O Corinthians manteve a vantagem de nove pontos sobre o Grêmio, na liderança da série A do Campeonato Brasileiro, ao empatar no seu estádio, em São Paulo, com o time gaúcho por 0x0 na noite desta quarta-feira (18).
Na parte de baixo da tabela, o clássico tricolor entre Fluminense e São Paulo terminou com a vitória do time carioca por 3×1, resultado que levou a equipe das Laranjeiras a saltar do 12º ao 10º lugar, distanciando-se sete posições da zona de rebaixamento, enquanto os paulistas caíram do 13º para o 14º, ficando a apenas duas posições do Z4, podendo ainda ser ultrapassados por times que jogam nesta quinta-feira (19).
Nos outros jogos da noite, os resultados foram: Coritiba 1×0 Cruzeiro; Atlético GO 0x1 Vasco; Atlético MG 2×3 Chapecoense; e Avaí 0x0 Botafogo. Nesta quinta-feira, a rodada será completada com os jogos Palmeiras x Ponte Preta; Vitória x Atlético PR; Flamengo x Bahia e Sport x Santos.
A classificação é a seguinte: 1º, Corinthians (59 pontos); 2º, Grêmio, 50; 3º Santos, 49; 4º, Palmeiras (47); 5º, Cruzeiro (47); 6º, Botafogo (44); 7º, Flamengo (43); 8º, Vasco (42); 9º, Atlético MG (38); 10º, Fluminense (38); 11º, Chapecoense (35); 12º, Bahia (35); 13º, Atlético PR (35); 14º, São Paulo (34); 15º, Sport (34); 16º, Vitória (33); 17º, Ponte Preta (32); 18º, Coritiba (31); 19º, Avaí (31); e 20º, Atlético GO (26).
– Assuntos: campeonato brasileiro, 29ª rodada, Corinthians, Grêmio, São Paulo, Fluminense

Ataque talibã contra base militar deixa pelo menos 43 mortos no Afeganistão

Internacional

Da Agência EFE
Pelo menos 43 soldados morreram e outros nove ficaram feridos hoje (19) em um ataque coordenado pelos talibãs contra uma base militar na província de Candaar, no sul do Afeganistão, na terceira maior ação contra as forças afegãs esta semana.
Um talibã suicida detonou um carro-bomba contra uma base do Exército no distrito de Maiwand, seguido de um confronto armado com os militares, disse à Agência EFE, o porta-voz do Ministério da Defesa, Muhammad Radmanesh.
Em um comunicado, o departamento anunciou que no momento do ataque havia 60 soldados na base, sendo que 43 morreram, nove ficaram feridos e seis permanecem desaparecidos.
O ministério deu por finalizada a ação e afirmou que já recuperou o controle do Acampamento Chashmo, onde uma delegação foi enviada para investigar os detalhes do que aconteceu.
Os talibãs reivindicaram a autoria do atentado através de um comunicado do porta-voz insurgente Yusuf Ahmadi. Eles confirmaram que foi um ataque coordenado e asseguraram ter destruído cinco veículos blindados das tropas afegãs.
Este é o terceiro ataque de grande magnitude realizado nesta semana pelos talibãs contra bases das forças de segurança, depois que, última terça-feira, morreram 48 pessoas e 161 ficaram feridas em um quartel da polícia de Paktia e outras 25 morreram em Ghazni. As duas ações seguiram o mesmo padrão, com a explosão do carro-bomba seguido de confrontos armados.
* É proibida a reprodução total ou parcial desse material. Direitos Reservados
– Assuntos: Afeganistão, Talibã, ataque, mortes

Estados Unidos pedem que eventual governo palestino reconheça Israel

Internacional

Da Agência EFE Edição: Kleber Mota Vaz Sampaio
O enviado especial dos Estados Unidos para o Oriente Médio, Jason Greenblatt, pediu hoje (19) que um eventual governo de unidade palestina reconheça o Estado de Israel.
Um governo palestino “deve comprometer-se de maneira inequívoca e ambígua à não violência, reconhecer o Estado de Israel, aceitar os acordos e obrigações anteriores entre as partes, incluindo o desarmamento dos terroristas e o compromisso com negociações pacíficas”, disse Greemblatt, através de um comunicado.
“Se o Hamas vai desempenhar algum papel em um governo palestino, deve aceitar estes requisitos básicos”, acrescentou o enviado do presidente dos EUA, Donald Trump.
É a resposta do governo americano aos esforços de reconciliação entre os islâmicos do Hamas e os nacionalistas do Al Fatah, partido que controla a Autoridade Nacional Palestina (ANP). As informações são da agência de notícias EFE.
Na semana passada, as duas forças assinaram um pacto no Cairo, sob mediação egípcia, para finalizar uma década de divisão política desde que o Hamas expulsou da Faixa de Gaza as forças leais de Abbas e assumiu o controle do enclave costeiro, criando de fato dois governos palestinos, um em Gaza e outro na Cisjordânia.
Em virtude do acordo, o governo de consenso da Cisjordânia retomará o controle administrativo de Gaza, e a segurança e a gestão das fronteiras.
Bloqueio sobre Gaza
Israel, que como a União Europeia e os EUA, considera Hamas um grupo terrorista, mantém um bloqueio sobre Gaza desde 2007 e adiantou, após o anúncio, que não reconhecerá o pacto, mas não vai romper relações com a ANP, nem vai impedir seu cumprimento, por considerar que pode beneficiar seu país.
No entanto, advertiu que não estabeleceria negociações diplomáticas com um governo palestino relacionado com o Hamas se este não cumprir com determinadas condições, como as que os Estados Unidos pedem hoje.
“Todas as partes concordam ser essencial que a ANP possa assumir de forma plena, genuína e sem obstáculos, as responsabilidades civis e de segurança em Gaza, e que trabalharemos lado a lado para melhorar a situação humanitária dos palestinos que ali residem”, disse Greenblant.
* É proibida a reprodução total ou parcial desse material. Direitos Reservados
– Assuntos: Estados Unidos, Israel, Palestina

Pessoas a partir de 70 anos podem sacar cotas do PIS/Pasep a partir de hoje

Geral

Wellton Máximo – Repórter da Agência Brasil Edição: Lidia Neves
Pessoas a partir de 70 anos que tenham contribuído com o Programa de Integração Social (PIS) ou o Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) podem sacar as cotas nos fundos a partir de hoje (19). A retirada é válida somente para os trabalhadores que tiveram carteira assinada e contribuíram para algum dos dois fundos até 4 de outubro de 1988.
Em 17 de novembro, começará o saque para aposentados. Em 14 de dezembro, a retirada será liberada para homens a partir de 65 anos e para mulheres a partir de 62 anos. Não há data limite para os saques. Os herdeiros de cotistas falecidos podem sacar o dinheiro a qualquer momento.
Quem contribuiu após 4 de outubro de 1988 não tem direito ao saque. Isso ocorre porque a Constituição de 1988 passou a destinar as contribuições do PIS/Pasep das empresas para o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), que paga o seguro-desemprego e o abono salarial, e para o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).
Brasília – Brasileiros aproveitam o sábado para sacar o FGTS inativo durante a segunda etapa do liberação do FGTS nas agências da Caixa Econômica (José Cruz/Agência Brasil)
A liberação dos saques do PIS/Pasep vai injetar R$ 15,9 bilhões na economia, segundo o governoArquivo/José Cruz/ABr
Desde a criação do PIS/Pasep, em 1971, o saque total só podia ser feito quando o trabalhador completava 70 anos, se aposentasse ou tivesse doença grave ou invalidez. A medida provisória editada recentemente pelo presidente Michel Temer flexibilizou as restrições para as retiradas. No entanto, o cidadão com idade inferior não tem direito à cota, mesmo que tenha contribuído antes de 1988, quando passou a vigorar a atual Constituição brasileira.
De acordo com o governo, a liberação dos saques das cotas do PIS/Pasep vai injetar R$ 15,9 bilhões na economia e beneficiar 7,8 milhões de pessoas. Desse total, R$ 11,2 bilhões virão dos saques do PIS, vinculado aos trabalhadores da iniciativa privada e administrado pela Caixa Econômica Federal, que beneficiarão 6,4 milhões de cotistas. O restante virá do Pasep, vinculado aos servidores públicos e aos empregados de estatais e sociedades de economia mista e administrado pelo Banco do Brasil.
Retirada do PIS
Na Caixa Econômica, os cotistas do PIS poderão fazer a retirada de três maneiras. Os pagamentos de até R$ 1,5 mil serão feitos nos caixas eletrônicos, digitando a Senha Cidadão, sem a necessidade de cartão bancário. Quem não tiver a senha pode obtê-la no site da Caixa, bastando clicar em “esqueci a senha” e preencher os dados.
Os saques de até R$ 3 mil podem ser feitos nos caixas eletrônicos, mas o cliente precisará usar o Cartão Cidadão e digitar a Senha Cidadão. Nas lotéricas e nos correspondentes bancários, o cotista poderá retirar o dinheiro, levando o Cartão Cidadão, a Senha Cidadão e algum documento oficial de identificação com foto. Acima desse valor, o beneficiário deverá ir a alguma agência da Caixa levando documento oficial com foto.
Clientes da Caixa receberam o depósito automaticamente nas contas correntes na terça-feira (17), dois dias úteis antes do calendário de saques. A Caixa informou que também fará a transferência do dinheiro para clientes de outros bancos, desde que a conta esteja no mesmo nome do beneficiário. A operação não terá custos.
Saques do Pasep
Em relação aos saques do Pasep, o Banco do Brasil também depositou automaticamente, na terça-feira, o dinheiro nas contas dos correntistas da instituição. Os cotistas com saldo de até R$2,5 mil e sem conta no banco poderão pedir transferência para qualquer conta em seu nome em outra instituição financeira na página do banco na internet ou nos terminais de autoatendimento.
Não correntistas com saldo acima desse valor ou herdeiros de cotistas falecidos deverão ir às agências. De 19 a 31 de outubro, 1.334 agências do Banco do Brasil em todo o país abrirão uma hora mais cedo para atendimento exclusivo aos cotistas do Pasep. A lista dos postos de atendimento com horário especial está disponível no site do banco.
Os clientes com dúvidas podem consultar as páginas da Caixa ou do Banco do Brasil. Caso a página da Caixa informe que o número da conta está registrado no Pasep, o trabalhador deverá ir à página do BB. Constantemente, os dois bancos atualizam as bases de dados e transferem a conta do PIS para o Pasep de quem passou a trabalhar no serviço público ou em alguma estatal.
PIS/Pasep
– Assuntos: PIS/Pasep, saque, Caixa Econômica Federal, banco do brasil, aposentados

Alunos de creche incendiada em Janaúba voltam às aulas hoje

Geral

Andreia Verdélio – Repórter da Agência Brasil Edição: Kleber Sampaio
Janaúba
Alunos da creche incendiada agora estudam provisoriamente no prédio da Unidade de Atendimento Infantojuvenil de Janaúba     Divulgação/Prefeitura de Janaúba
Vinte e seis alunos da creche Centro Municipal de Educação Infantil Gente Inocente, incendiada em Janaúba (MG) no dia 5 deste mês, voltaram às aulas hoje (19). Eles foram direcionados ao prédio da Unidade de Atendimento Infantojuvenil do município e terão aulas ali até que a creche seja reconstruída.
Na terça-feira (17) e ontem (18), o local foi apresentado aos funcionários da creche e aos pais dos alunos. Além disso, segundo a prefeitura de Janaúba, todas as famílias têm recebido assistência psicológica e social.
Na manhã do dia 5 de outubro, o vigia Damião Soares dos Santos, de 50 anos, entrou na creche, onde trabalhava, e ateou fogo em crianças e nele mesmo. Foram 11 os mortos – nove crianças, a professora Heley Abreu Batista, de 43 anos, e o autor do ataque, além de 48 pessoas feridas.
A reconstrução da creche Gente Inocente será financiada por um grupo de empresários de Janaúba e Montes Claros e a previsão de retomada das aulas no local é no início de 2018.
– Assuntos: creche, incêndio, Janaúba, tragédia